Política

Presidente Bolsonaro reafirma que Forças Armadas estão “ao lado da lei e da ordem”

346Leituras

Após o ministro da Defesa, Walter Braga Netto, publicar uma nota em conjunto com os comandantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, com críticas ao presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), o presidente Jair Bolsonaro fez uma postagem nas redes sociais, na noite de quarta-feira (7), elogiando as Forças Armadas.

“As Forças Armadas ao lado da lei, da ordem, da democracia, do respeito ao povo brasileiro e da nossa Sagrada Liberdade!”, escreveu o presidente em um post acompanhado de trecho de reportagem da TV Record o assunto.

A nota da cúpula da Defesa nacional foi divulgada após Omar Aziz falar na existência de um “lado podre das Forças Armadas”, em referência à citação de vários militares em depoimentos de testemunhas ouvidas pela CPI da Covid.

“Fazia muito tempo que o Brasil não via membros do lado podre das Forças Armadas envolvidos com falcatrua dentro do governo”, acusou Aziz.

Leia também

Em reação, Braga Netto e os comandantes das Forças afirmaram que houve desrespeito por parte de Aziz e que “não aceitarão qualquer ataque leviano às instituições que defendem a e a liberdade do povo brasileiro”.

“O ministro de Estado da Defesa e os Comandantes da Marinha do Brasil, do Exército Brasileiro e da Força Aérea Brasileira repudiam veementemente as declarações do Presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito, Senador Omar Aziz, no dia 07 de julho de 2021, desrespeitando as Forças Armadas e generalizando esquemas de corrupção. Essa narrativa, afastada dos fatos, atinge as Forças Armadas de forma vil e leviana, tratando-se de uma acusação grave, infundada e, sobretudo, irresponsável”, dizia o texto.

Após a nota, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), rendeu homenagens às Forças Armadas e pediu aos senadores respeito aos mortos pela pandemia e um ambiente mais pacífico entre os senadores neste momento. Aziz então respondeu e considerou o discurso de Pacheco “moderado demais”.

“E a minha fala hoje foi pontual, não foi generalizada. E vou afirmar aqui o que eu disse lá na CPI, novamente: podem fazer 50 notas contra mim; só não me intimidem, porque, quando estão me intimidando, e vossa excelência não falou isto, estão intimidando esta Casa aqui. Vossa excelência não se referiu à intimidação que foi feita pela nota das Forças Armadas.”, completou Aziz.

Contribua com o Jornal clicando nos links de publicidade, fazendo este gesto gratuito, você estará contribuindo com a única fonte de renda deste jornal, de quebra nos ajudando a crescer e a oferecer um melhor e mais abrangente serviço de entrega de informação independente. Para contribuições em dinheiro, consulte esta página.

Redação do Jornal Liga Patriótica

Redigido pela Redação do Jornal Liga Patriótica, extraído de diversas fontes

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo