Justiça

Helicóptero com incríveis 300Kg de cocaína é encontrado tombado em Mato Grosso

174Leituras

Um helicóptero com aproximadamente 300 kg de cocaína caiu na região do Pantanal, em Poconé (MT).

Segundo a PF, a aeronave foi encontrada tombada, parcialmente destruída e com sacos de droga ao redor; não foram localizados feridos nem suspeitos na região.

Segundo a Federal, o helicóptero, um modelo Robinson R-44, avaliado em R$ 450 mil, foi encontrado tombado, parcialmente destruído e com sacos de droga ao redor.

A aeronave está no nome de um policial civil do Distrito Federal. Na matrícula da aeronave, na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), consta que o dono da aeronave é o papiloscopista policial Ronney José Barbosa Sampaio.

O servidor público disse em entrevista que vendeu o helicóptero em maio.

“Eu tenho todos os documentos da venda do helicóptero, fiz a transferência da minha parte. Mas esse processo é igual quando vende um carro. Se o comprador não for lá e fizer a transferência para ele também, ele continua no meu nome”, disse o policial.

Leia também

De acordo com o agente da Civil do DF, o helicóptero foi vendido para um homem que mora em do Sul (MS).

Segundo Ronney Sampaio, o helicóptero não poderia ter sido usado, pois não estava em condições de voo. “Ele não estava aeronavegável e não tinha autorização para voar”, contou.

“Eu comprei ele [o helicóptero] tem um ano mais ou menos. Mas como eu não tinha dinheiro pra arrumar o documento dele, eu vendi. O recibo da venda do helicóptero foi feito em 25 de maio deste ano”, diz o policial civil.

Segundo o Portal da Tranparência do Distrito Federal, a última remuneração do policial civil, em junho foi de R$ 19.746,02. O salário médio dele é de cerca de R$ 12 mil.

Região é conhecida como rota do tráfico

Em 2013, a PF apreendeu no Espírito Santo um helicóptero da empresa do ex-deputado Gustavo Perrella, filho do ex-senador Zezé Perrella, com 445 kg de cocaína.

Cinco pessoas, entre elas o piloto, foram condenadas por tráfico. A PF concluiu que Gustavo e Zezé não tinham nenhuma ligação com a droga.

Contribua com o Jornal clicando nos links de publicidade, fazendo este gesto gratuito, você estará contribuindo com a única fonte de renda deste jornal, de quebra nos ajudando a crescer e a oferecer um melhor e mais abrangente serviço de entrega de informação independente. Para contribuições em dinheiro, consulte esta página.

Redação do Jornal Liga Patriótica

Redigido pela Redação do Jornal Liga Patriótica, extraído de diversas fontes

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo