Política

Bolsonaro admite derrota da PEC do voto impresso auditável

330Leituras

O presidente afirmou nesta segunda-feira (9/8) que o projeto de voto impresso do governo deverá sofrer derrota na Câmara e acusou o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso: “Apavorou alguns parlamentares”.

O mandatário lembrou que a proposta será reenviada ao plenário por pedido do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

“Vai, mas se não tiver uma negociação antes, um acordo, vai ser derrotada a proposta porque o ministro Barroso apavorou alguns parlamentares. E tem parlamentar que deve alguma coisa na Justiça, que deve no Supremo, né. Então, o Barroso apavorou. Ele foi para dentro do Parlamento fazer reuniões com lideranças e praticamente exigindo que o Congresso não aprovasse o voto impresso”, justificou.

O presidente ainda reclamou que a Suprema Corte declarou inconstitucional o voto impresso em 2017. “Deixo bem claro: em três outros três momentos na história, nós aprovamos o voto impresso aqui em Brasília.

A última questão, em 2017, comigo, foi quase uma unanimidade, depois o Supremo, sempre o Supremo, disse que era inconstitucional realmente não tem cabimento isso que o Supremo fez”.

Por fim, voltou a tecer ataques ao magistrado:

Leia também

Barroso é um mentiroso, disse que é a volta do voto em papel, mas não é, é apenas a impressão dos votos”. “É desarmamentista, é trotskista. Ele é tudo o que não interessa ao estado democrático”, concluiu.

Derrota Iminente

No último dia 6, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse que a proposta de emenda à Constituição (PEC) que quer instituir o voto impresso nas do país já em 2022 não deve ser aprovada pelo parlamento.

No entendimento de Pacheco, a decisão da comissão especial de não aprovar o texto é um indicativo do que deve acontecer quando a PEC for ao plenário da Câmara.

O substitutivo à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 135, do voto impresso, foi derrotado por 23 votos a 11 na comissão especial da Câmara dos Deputados.

Bolsonaro tem denunciado ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e dito que não haverá em 2022 caso o Congresso não aprove a PEC do voto impresso.

Contribua com o Jornal clicando nos links de publicidade, fazendo este gesto gratuito, você estará contribuindo com a única fonte de renda deste jornal, de quebra nos ajudando a crescer e a oferecer um melhor e mais abrangente serviço de entrega de informação independente. Para contribuições em dinheiro, consulte esta página.

Redação do Jornal Liga Patriótica

Redigido pela Redação do Jornal Liga Patriótica, extraído de diversas fontes

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo